Закрыть ... [X]

  • Até o Windows 2012 era muito fácil identificar quem estava conectado remotamente ao servidor, bastava abrir o Gerenciamento da Área de Trabalho Remota (Remote Desktop Services Manager) , porém ele não está mais disponível no Windows Server 2012, então como saber agora? Há algumas maneiras e vou descrevê-las aqui: - Usando o Gerenciador de Tarefas (Task Manager) Abra o gerenciador de tarefas (Pressione Ctrl + Shift + Esc ), execute um clique com o botão direito sobre o nome de uma das colunas e selecione Sessão . Pronto, aparecerá a informação sobre a forma que cada conta está conectada ao servidor. Contas com sessão igual a RDP estarão conectadas remotamente. Estas instruções valem ainda para o Windows 8.1 e o Windows 10. - Essa informação também pode ser obtida através do Power Shell, usando o comando quser Os usuários via acesso remoto poderão ser identificados na coluna SESSIONNAME, onde aparecerá rdp-tcp# ?, sendo que no lugar da interrogação estará o número da conexão. Caso deseje obter esta informação de um servidor remoto, basta adicionar ao comando: /server e o nome do servidor, por exemplo: quser /server Teste - Outro comando útil é o qwinsta Com ele identificamos quem está conectado juntamente com a informação se a conexão é via console ou acesso remoto. - Mais uma forma de obter esta informação é através do cmdlet Get-RDUserSession . Espero que lhe seja útil!

  • Que o Excel é uma ferramenta excelente que aumenta a produtividade todos sabemos, mas quando conhecemos os atalhos dele, nos tornamos mais produtivos ainda, então aqui vão alguns: Fórmula Explicação CTRL + ( Para visualizar dados que não estão próximos, você pode usar a opção de ocultar células e colunas. Usando esse comando você fará com que as linhas correspondentes à seleção sejam ocultadas. Para que aquilo que você ocultou reapareça, selecione uma célula da linha anterior e uma da próxima e depois tecle CTRL + SHIFT + ( CTRL + ) Atalho igual ao anterior, mas oculta colunas e não linhas CTRL + SHIFT + $ Atalho para aplicar a conteúdos monetários o formato de moeda. Ele coloca o símbolo desejado (por exemplo, R$) no número, além de duas casas decimais CTRL + SHIFT + Asterisco () Para selecionar dados que estão em volta da célula atualmente ativa. Caso existam células vazias no meio dessas informações, elas também serão selecionadas CTRL + Sinal de adição (+) Para inserir células, linhas ou colunas no meio dos dados CTRL + Sinal de subtração (-) Para excluir células, linhas ou colunas inteiras CTRL + D Quando você precisar que todas as células de determinada coluna tenham o mesmo valor, use esse comando. Por exemplo: o número 2574 está na célula A1 e você quer que ele se repita até a linha 20. Selecione da célula A1 até a A20 e pressione o comando. Todas as células serão preenchidas com o mesmo número. CTRL + R Igual ao comando acima, mas para preenchimento de colunas. Caso deseje preencher uma matriz, basta executar este comando e o anterior, em sequencia. CTRL + ALT + V O comando "colar valores" faz com que somente os valores das células copiadas apareçam, sem qualquer formatação CTRL + PAGE DOWN Muda para a próxima planilha da sua pasta de trabalho CTRL + PAGE UP Similar ao anterior, mas muda para a planilha anterior CTRL+SHIFT+& Aplica o contorno às células selecionadas CTRL+SHIFT+_ Remove o contorno das células selecionadas CTRL+SHIFT+Sinal de porcentagem (%) Aplica o formato porcentagem sem casas decimais CTRL+SHIFT+ Sinal de cerquilha (#) Inclui no arquivo data com dia, mês e ano CTRL+SHIFT+ Sinal de arroba (@) Inclui no arquivo hora com a hora e minutos, AM ou PM

  • Neste post deseje apresentar soluções para duas necessidades bem comuns: Trabalhar com o aplicativo de linha de comando Robust File Copy , vulgarmente conhecido como Robocopy , através de uma interface de usuário, ou seja, de forma mais amigável; Possuir a possibilidade de agendar as cópias do Robocopy, usando-o como uma ferramenta de backup e restauração. Através do uso do robocopy podemos criar estratégias simples de backup e restauração, de forma gratuita, contando com recursos como cópias multi-thread, espelhamento e sincronização, automatização e a habilidade de retomar uma cópia interrompida. Apesar de haver outras soluções para isso, gostei de usar o RoboMirror, pois é simples e direto, além de ser um arquivo pequeno. Basta que você defina as pastas de origem e destino, bem como os atributos NTFS que desejar. Ainda é possível apagar os arquivos no destino, que não estejam na origem, criando desta forma uma imagem da origem. Para completar, você pode definir que sejam copiados mesmos os arquivos que estejam bloqueados por algum processo, através do uso do VSC (Volume Shadow Copy). Para completar, você pode usar os switches do Robocopy (neste link você encontra eles: https://technet.microsoft.com/en-us/library/cc733145(WS.10).aspx ). Caso deseje excluir alguns arquivos ou pastas do backup, isso pode ser feito clicando em Excluded items... , depois é só definir os arquivos a excluir (em Excluded files ) ou as pastas (em Excluded folders ). Uma vez criada a tarefa, ela pode ser iniciada, clicando em Backup ou Restore, ou agendado, clicando em Schedule . Caso a opção seja o agendamento, este poderá ser diário, semanal ou mensal. Ficou interessado? Faça o download da ferramenta em: https://sourceforge.net/projects/robomirror/?source=navbar

  • Muitas vezes, ao desenvolver nossas atividades nos deparamos com planilhas de cálculo onde são inseridos dados diariamente e em algumas destas situações, precisamos que seja calculada uma média móvel dos valores inseridos nelas. Digamos, por exemplo, a média dos 20 últimos valores inseridos. Esta seria uma tarefa relativamente fácil usando o VBA (macros), contudo resolvendo desta forma estaríamos adicionando um problema. Qual problema? A planilha não funcionaria corretamente em alguns cenários, por não permitirem a execução de macros, por exemplo: Tablets Surface RT, Smartphones e Excel Online (nuvem). Para que funcione em qualquer um destes cenários, precisamos usar exclusivamente fórmulas do Excel! A solução é a fórmula abaixo: =ARREDONDAR.PARA.CIMA(MÉDIA(ÍNDICE(K:K; CORRESP(1E+99; K:K)-20):ÍNDICE(K:K; CORRESP(1E+99; K:K)));2) Agora passo a explica-la, passo-a-passo: =ARREDONDAR.PARA.CIMA( ... ;2) -> Apenas arredonda o resultado para duas casas decimais; MÉDIA( ... : ... ) -> Calcula a média das células que estão entre as duas referências; ÍNDICE( ... ; ... ) -> o primeiro item identifica a coluna a ser verificada, o segundo identifica a linha, em resumo, retorna uma referência de célula CORRESP( ... ; ...) -> retorna a linha onde se encontra o número indicado na primeira parte, dentro da coluna indicada na segunda parte. A busca inicia na última linha digitada e vai subindo, caso não encontre o número exato, refaz buscando o mais próximo. Como o número informado na solução é muito inferior a zero e não será localizado, retornará a linha do último número inserido. Espero que tenha ficado claro, qualquer dúvida é só postar!

  • Precisando ligar para outro país, mas não sabe o código dele? Agora temos a solução: http://www.countrycode.org

    by to

    Filed under: ,

  • Você já desejou gravar uma imagem ISO em um USB e torná-lo inicializável, sem precisar utilizar nenhum aplicativo para isto? Veja como: Insira o seu USB; Abra um Prompt de Comando (Iniciar -> Executar -> CMD -> ENTER); Digite diskpart ; Digite list disk e identifique o número de seu USB; Acesse o disco do seu USB com o seguinte comando: select disk 1 (caso o número dele seja 1); Digite clean para limpar o conteúdo dele antes de iniciar; Agora digite create partition primary para criar uma partição primária; Acesse a partição que criou com o comando: select partition 1 ; Torne ela ativa com o comando: active ; Formate a partição como FAT32 ou NTFS através do comando: format fs=fat32 ou format fs=ntfs ; Digite assign ; Agora saia desta ferramenta digitando: exit ; Acesse a imagem ISSO que deseja copiar, o próprio Windows Explorer monta ela para você com dois cliques; Verifique qual letra a imagem ISSO recebeu; Execute o comando bootsect /nt60 z: (onde z representa a letra de seu USB); Copie os arquivos para o USB com o comando: xcopy d:\. /s/e/f z:\ (onde d representa a letra da imagem e z a do USB); Digite exit. Seu USB está pronto!

  • Você já esqueceu a senha de seu roteador, resetou ele e não lembrou a senha de fábrica? Já conectou em uma rede wi-fi que ainda estava com a senha de administrador padrão de fábrica? Bem está mais fácil de saber a senha padrão agora, pois temos: http://www.routerpasswords.com/

    by to

    Filed under: ,

  • Se você está usando o Windows 10 já deve ter notado que algumas ferramentas administrativas não estão muito fáceis de serem encontradas e já deve ter desejado uma forma mais direta de acessá-las, pois isto é possível. Com apenas três passos simples, podemos atingir este objetivo, criando a pasta do Administrador Total. Os passos são os seguintes: Dê um clique com o botão direito do mouse em um espaço livre de sua área de trabalho; Selecione Novo e depois selecione Pasta; Agora dê o seguinte nome para a sua pasta: AdminTotal.{ED7BA470-8E54-465E-825C-99712043E01C} Pronto, é simples assim. Agora você possui todas as ferramentas administrativas importantes em um único local!

  • Você gosta de jogar Xadrez com os amigos, mas nem sempre estão próximos para isso? Que tal jogar através do Messenger do Facebook? Sim, é possível e bem simples. Basta iniciar um chat com a pessoal e digitar no chat o seguinte texto: @fbchess play Este comando fará com que abra a tela do jogo, daí para a frente será apenas dar os comandos das jogadas e se divertir. Você deverá usar uma notação: Letra Peça correspondente K Rei (King) Q Rainha (Queen) B Bispo (Bishop) N Cavalo (kNight) R Torre (Rook) P Peão (Pawn) Sempre identificando a peça com letra maiúscula. Esta letra será seguida da casa de destino da peça, compondo assim o seu movimento. Por exemplo, para iniciar o jogo avançando o peão à frente do Rei duas casas, o comando é o seguinte: @fbchess Pe4 Desta forma, estamos informando à ferramenta de chat o seguinte: @fbchess => identifica que forneceremos um comando para a interface do jogo de Xadrez; P => informa que desejamos realizar uma ação com um peão; e4 => é a casa para onde desejamos deslocar um peão. A própria interface do jogo identificará qual peça pode se deslocar para aquele local e a movimentará. O resultado do comando será este: Para tomar uma peça, basta deslocar-se para a posição dela. Quem já estava acostumado a registrar os seus jogos pelo sistema de notação algébrica, achará bem fácil jogar pelo facebook. Caso o movimento seja de um peão na última casa do tabuleiro, para informar a qual peça ela será convertido, basta inserir o símbolo de igual e a letra da peça desejada. Ex.: @fbchess Pa8=Q , para converter o peão em Rainha. Caso deseje desistir (derrubar o seu Rei), basta digitar: @fbchess resign Para fazer o roque curto ( O-O ), já o longo ( O-O-O ). Oferecer empate? @fbchess draw offer Se tiver dúvidas, digite: @fbchess help

    by to

    Filed under:

  • Hoje tive um caso onde as impressoras simplesmente desapareciam do Terminal Services e também não era possível reinstalá-las pois o "Print Spooler" estava parado. Se o usuário tentasse iniciar ele, iniciava corretamente e ao tentar instalar a impressora parava denovo. A primeira vista, parece um problema complexo, mas na realidade é bem simples. Basta acessar a pasta: " %WINDIR%\system32\spool\printers " e apagar todos os arquivos que estiverem lá, depois iniciar o "Print Spooler". Pronto, as impressoras aparecem de volta e tudo funciona novamente!

    by to

  • Realizei algumas palestras sobre Windows Server 2012 Essentials em eventos do Rotary Club, abaixo algumas fotos dos eventos.

    by to

    Filed under:

  • Realizei um ciclo de palestras sobre produtividade e de gerenciamento de consultórios psicológicos, apresentando soluções com o uso do Windows Server 2012 Essentials e Office 365. A seguir algumas fotos:

    by to

    Filed under:

  • Como fiquei algum tempo sem postar novidades, nesta série passarei a relatar algumas coisas bacanas que fiz em 2014. A primeira que relato é minha participação no programa Microsoft MVP Mentor. A Microsoft criou este programa para conectar estudantes com principais experts independentes, chamados por ela de MVPs (Most Valuable Professionals), grupo do qual faço parte já há 10 anos. A lógica básica é fornecer ao estudante um mentor que o auxiliará a resolver um problema específico. Mais detalhes aqui: http://blogs.msdn.com/b/mvpmentor/archive/2014/04/13/welcome-to-the-mvp-mentor-blog.aspx Fui mentor de dois estudantes (por questões de privacidade, vou omitir os nomes deles): 1) 09092014 - Recebo um estudante de graduação da Inglaterra com a ideia de montar uma incubadora tecnológica em seu país. Trabalho muito interessante, pois começamos verificando o funcionamento das incubadoras, locais de co-working e aceleradoras, para então identificar seus diferencias, bem como itens de melhoria Na sua carreira. 2) 19/12/2014 - Recebo como meu segundo mentee um aluno de faculdade brasileira, querendo planejar sua carreria profissional e desejando receber conselhos para isso. Trabalho muito interessante, onde pude verificar diferenças regionais tanto comportamentais, quanto de currículo.

  • Este ano tive a incrível oportunidade de ser juiz das semifinais internacionais da Imagine Cup, maior olimpíada de tecnologia do mundo! Julguei projetos da trilha de Cidadania Mundial. As principais trilhas para 2015 foram Inovação , Cidadania Mundial e Jogos , sendo que dos projetos avaliados por mim, nas semifinais, avançou para as finais mundiais, ainda que não tenha sido o grande vencedor. Além do cobiçado troféu a equipe vencedora levou um prêmio de US$ 50.000 !!! O processo de avaliação é super criterioso e envolve grande responsabilidade, pois além aproximar ou afastar as equipes do grande prêmio, as avaliações colocam os projetos em maior ou menor evidência, a medida que permitem ou não que eles avancem na competição. Na trilha que eu avaliei os grandes vencedores mundiais foram brasileiros! Naturalmente não forma avaliados por mim, por não poderia avaliar uma equipe de meu próprio país!

    by to

    Filed under:

  • No dia 24/10/2014 fiz palestra sobre produtividade na Assembléia Legislativa do estado do Rio Grande do Sul, em evento organizado pela Escola do Legislativo, onde tivemos cobertura do Jornal e da Televisão do Legislativo. Abaixo algumas fotos do evento!

  • No dia 13/11/2014 realizei uma palestra sobre Produtividade na Cinco TI , aqui algumas fotos do evento.

  • Você já desejou poder instalar o seu Windows 8.1 em um pen drive (ao menos 32 GB é o recomendável) e levar ele para onde desejar a fim de continuar um trabalho? Pois saiba que isso é possível, desde que você disponha de um Windows 8.1 Enterprise para gerar o pen drive. Pois vamos aos passos: Insira um pen drive vazio, ou que não se importe em perder os dados; Acesse ao painel de controle e clique na opção Windows To Go ; Selecione o drive desejado (pen drive ou HD externo) e clique em avançar; Selecione a imagem do Windows 8/8.1 que deseja usar e clique em avançar; Informe uma senha para a BitLocker, a fim de aumentar a segurança dos seus dados; Então bastará clicar em Criar para que o procedimento seja realizado; A unidade será preparada e então a imagem será aplicada; Pronto, agora você pode usar o seu sistema em qualquer computador, bastando para isso que inicie a máquina a partir dele!

    by to

    Filed under: ,

  • Amigos, é com MUITA alegria que informo a todos que pelo 10º. ano consecutivo, foi agraciado com o título de MVP (Most Valuable Professional – Profissional mais valioso), pela Microsoft. Fazer parte deste grupo MUITO me honra, pois são pouco mais de 4.000 MVPs ao redor do mundo, distribuídos em diversas especialidades. Na minha especialidade (Windows Server for Small and Medium Business), somos apenas 40 no mundo todo! Entrar neste grupo não foi fácil, mas me manter 10 anos nele só me enche de orgulho! Abaixo a mensagem de reconhecimento e um pouco sobre o programa para quem ainda não o conhece:   P rograma MVP A Premiação Microsoft Most Valuable Professional (MVP) é nossa forma de agradecer aos incríveis líderes independentes da comunidade que compartilham sua paixão, experiência técnica e conhecimento prático dos produtos da Microsoft com outros. Faz parte do compromisso da Microsoft em ajudar e enriquecer as comunidades técnicas. Mesmo antes do surgimento da mídia social e Internet, as pessoas se reúnem para oferecer suas ideias e práticas recomendadas nas comunidades técnicas. Na Microsoft, reconhecemos a função vital destes indivíduos na adoção e avanço da tecnologia - e ao ajudar nossos clientes a realizarem coisas maravilhosas com nossos produtos. Esta foi a inspiração para a Premiação MVP da Microsoft. A cerca de duas décadas atrás, premiamos 37 líderes da comunidade técnica como MVPs. Hoje, existem mais de 4.000 MVPs em todo mundo. Eles representam mais de 90 países, falam mais de 40 idiomas, respondem mais de 10 milhões de perguntas por ano e conhecem quase 90 tecnologias da Microsoft - refletindo a amplitude de nossos produtos e nossas comunidades globais Fonte: http://mvp.microsoft.com/pt-br/overview.aspx

  • Você deseja poder acessar arquivos que estão em um pen drive, a partir de sua máquina virtual do Hyper-V? Caso seu servidor seja um Windows Server 2012 R2 e a máquina virtual seja da geração 2 (Windows 8.1 ou Windows Server 2012), isto já é possível. Veja como: Abra o Gerenciador do Hyper-V ; Dê um clique com o botão direito no nome do host e selecione Configurações do Hyper-V ; Agora em no conjunto Servidor , clique em Política do Modo de Sessão Avançado e selecione a caixa Permitir modo de sessão avançado ; Então no conjunto Usuário , em Modo de Sessão Avançada , selecione a caixa Usar modo de sessão avançada; Agora clique em Conectar… que aparecerá uma caixa de diálogo permitindo alterar a configuração de vídeo, além de outras opções, caso clique em Mostrar ; Vídeo: 640 x 480; 800 x 600; 1024 x 768; Tela inteira; Recursos Locais: Áudio remoto; Dispositivos e recursos locais Nas unidades você poderá conectar seus dispositivos de armazenamento USB. Pronto!

  • Suponhamos que você deva instalar vários Office 2013 e no meio do processo perdeu o controle de quais chaves já usou. Então acaba inserindo uma chave que já havia sido usada a quantidade de vezes permitida e o Office falha na ativação. O que fazer? Simplesmente alterar a chave para a correta e seguir o processo de ativação. Como? Via prompt de comando, com privilégios de administrador. Aqui vão os passos: Localize o arquivo OSPP.VBS ; Ele estará em uma das seguintes pastas: C:\Program Files\Microsoft Office\Office15\; C:\Program Files (x86)\Microsoft Office\Office15\. Agora execute o seguinte comando: cscript " Pasta_identificada_no_item_anterior \OSPP.VBS" /inpkey: a_chave_de_produto_correta O resultado será algo assim: Agora é só executar o processo de ativação denovo, que funcionará perfeitamente!

  • Quando a instalação do Windows 8 Enterprise é concluída ele tem armazenada uma chave padrão, que não é validada no processo de ativação do sistema e você recebe um erro. Analisando o log do sistema, normalmente o código do erro é 0x8007007B. Para resolver este problema, acesse a pesquisa de aplicativos e digite SLUI 3 ; Clique no aplicativo e na janela seguinte informe a chave de seu produto; Agora basta clicar em avançar e pronto!

  • Sua máquina virtual do Hyper-V está com estado “Em Pausa – Crítica”? Você gostaria de saber o motivo? Simples, você está usando um disco dinâmico ou diferencial e o espaço em disco está acabando e para evitar que comecem a ocorrer falhas nas operações de gravação no disco da máquina virtual. Qual seria o problema disso? Normalmente causaria um “crash” na VM. Para evitar este tipo de problema, quando o espaço em disco fica inferior a 2 GB, começam a aparecer alertas no log de eventos e quando fica inferior a 200 MB a máquina virtual passa para o estado “Em pausa – Crítica”. Outro ponto a ser considerado é que se você configurar a VM para armazenar seus dados em um disco diferente do de sistema, mas esquecer mantiver os snapshots no disco de sistema, poderá ter problemas de espaço em ambos. Como solucionar? Basta excluir alguns arquivos para aumentar o espaço livre, ou  mover a máquina virtual para outro drive.

  • Agora vejamos como usar o dicionário de sinônimos existente no Word 2013, outra ferramenta muito boa! Para usar este recurso, selecione a palavra desejada e clique em Dicionário de Sinônimos ; Isso fará com que seja aberta outra janela, mostrando eles; Legal não é? Agora, que tal fazer isso em outro idioma? Seguindo a mesma ideia do post anterior ( Usando dicionário de significados no Word 2013 ), vou seguir usando a palavra inconsciente, porém desta vez, vou colocá-la em Italiano . Por que Italiano? Simples, foi o primeiro idioma que pensei, mas você pode escolher qualquer outro. Primeiro vamos instalar o dicionário de sinônimos em Italiano, para tanto clique em Revisão –> Idioma –> Preferências de idioma… ; No conjunto Escolher idiomas de Edição , em Adicionar mais idiomas de edição , escolha o idioma desejado (sim, a lista é longa) e depois clique em Adicionar ; Então você será redirecionado para a página do Office, onde terá de selecionar o idioma novamente; Na coluna do Revisor de Texto você encontrará o botão que deseja, aí é só clicar em Baixar e depois em Executar ; Na janela de confirmação clique em Sim e depois aceite os termos de uso (sim, eles estarão no idioma que você está adicionando); Então bastará você reiniciar o Word para as alterações surtirem efeito; Agora, acesse novamente o documento, selecione a palavra e clique em Revisão –> Dicionário de Sinônimos (da mesma forma descrita acima). Por padrão, ele vai abrir direto o dicionário de sinônimos de seu idioma padrão, informando que não localizou a palavra; A única coisa que você precisa fazer é alterar o idioma para o correto, no menu inferior (selecionado acima); Prontinho! Isso não é ótimo para quando estamos escrevendo textos em outros idiomas e queremos evitar repetições da mesma palavra? Aproveite!   Gostou? Indique o blog para um amigo!

    by to

    Filed under: ,

  • Você sabia que o Word 2013 dispõe de um dicionário de significado e um de sinônimos? Pois veja aqui como utilizá-los! Caso haja uma palavra que você deseje verificar o significado em seu texto, basta selecioná-la e clicar nos seguintes menus. Revisão –> Definir ; O Word vai abrir uma janela lateral, onde aparecerá a definição da palavra procurada; Legal, não é, mas isto fica ainda mais interessante quando estamos falando de expressões estrangeiras, pois de uma forma ou de outra conseguimos nos virar com o idioma em que fomos criados, mas o problema surge ao se tentar escrever textos em outros idiomas. Pois vamos lá então: O primeiro passo pode ser instalar um dicionário, caso o idioma ainda não esteja instalado. Nesta caso, clique em Inserir –> Loja e escolha o dicionário desejado. Aqui vou utilizar um dicionário de Italiano; Uma vez instalado ele aparecerá em Meus Aplicativos , aí é só selecionar a palavra desejada, clicar em Inserir , na seta ao lado de Meus Aplicativos e escolher o dicionário desejado; Abrirá aquela mesma janela lateral com a definição da palavra desejada (naturalmente, para manter a consistência do exemplo, estou usando a mesma palavra apenas em italiano, sim usei o tradutor do Word para traduzi-la); Em função de erros de certificado, pode ser que apareçam umas mensagens de erro na janela, neste caso apenas clique em Atualizar página e depois em Continuar neste site ;   Aí sua resposta aparecerá! Gostou? Divulgue o blog para seus amigos!

    by to

    Filed under: ,

  • Com este artigo fecho esta pequena série, que teve anteriormente: Traduzindo textos com o Word 2013 - Parte 1 = Como traduzir documento inteiros Traduzindo textos com o Word 2013 – Parte 2 = Como traduzir a palavra onde o mouse estiver repousando Agora vou abordar como traduzir o texto selecionado. Para tanto selecione um texto de seu documento que esteja em outro idioma e depois acesse a guia Revisão , clique em Traduzir e selecione Traduzir Texto Selecionado ; Neste momento o Word 2013 irá abrir a janela do Minitradutor em uma barra lateral e apresentar o seu texto já traduzido, depois você terá as opções de Inserir o texto em seu documento, ou apenas Copiá-lo para a área de transferência, para depois colá-lo onde desejar. Maravilha, assim concluo a série de tradução com o Word 2013, espero que tenham gostado e que seja muito útil para vocês!

    by to

    Filed under: ,

  • No artigo anterior ( Traduzindo textos com o Word 2013 ) abordei como traduzir um documento inteiro no Word 2013, agora vou demonstrar como traduzir apenas partes dele. Com o texto que deseja traduzir aberto no Word 2013, clique em Revisão , selecione Traduzir e escolha Minitradutor ; Isto vai habilitar o Minitradutor (sim, você não notará nada em sua tela). Caso deseje conferir se ele foi habilitado basta clicar novamente em Traduzir e reparar que agora o Minitradutor estará selecionado (quem indica isso é o quadrado azul ao fundo dele); Você já deve ter reparado que consta Português (Brasil) no Minitradutor , caso deseje que a tradução dele seja para outro idioma, basta clicar em Escolher o Idioma de Tradução… e selecioná-lo; (Tá certo, eu sei que o parêntese ficou bem torto, mas façam de conta que está bonito, OK?) Agora aponte o mouse para uma palavra em outro idioma e repare que vai aparecer uma janela, quase transparente no entorno da palavra, referindo-se ao Microsoft Translator ; Movimente o mouse para dentro desta janela e verá sua tradução; Caso deseje traduzir um frase, é só selecioná-la e repousar o mouse sobre a seleção. Vai aparecer a mesma janela transparente; Agora, se movimento o mouse para dentro da janela transparente, tenho minha tradução; Há ainda dois botões muito úteis no Minitradutor, destacados acimas com os números: Clicando no marcado com o número 1 , teremos a expansão do Minitradutor para uma barra lateral contendo várias outras opções, dentre as quais um botão inserir que posso utilizar para inserir a tradução direto em meu documento; Já o ícone marcado com o número 2 é praticamente autoexplicativo. Ele serve para copiar a tradução, que poderá então ser colada onde eu desejar. Pronto, agora divirta-se com mais este recurso!

    by to

    Filed under: ,

  • Atendendo ao pedido de uma amiga, posto aqui como traduzir textos com o Word 2013. Vou demonstrar algumas formas de realizar este procedimento, nesta primeira faremos a tradução do documento inteiro. Considerando que você deseja traduzir o documento inteiro, acesse a guia Revisão , depois clique em Traduzir e selecione Traduzir Documento ; Abrirá uma janela para você confirmar de qual e para qual idioma deseja traduzir; Faça sua seleção e clique em OK (repare que independe o idioma do seu Word, você poderá traduzir de e para qualquer um dos idiomas da lista; Como optamos por traduzir um documento inteiro, ele será enviado para a internet, traduzido e disponibilizado de volta (sim, precisa estar online!), desta forma, clique em Enviar ; O retorno será através de uma página de internet, que já apresentará o texto traduzido; Outra coisa interessante, é que algumas vezes não conseguimos entender algo traduzido por tradutores online, então basta apontar o mouse para uma frase que ela será apresentada no idioma original, juntamente com o traduzido (repare na caixa cinza, acima do texto traduzido); Agora é só selecionar o texto, copiá-lo e colar onde desejar, ou simplesmente lê-lo online. No próximo artigo, explico o segundo método, até mais!

    by to

    Filed under: ,

  • Suponhamos que você tenha uma lista grande de pessoas para as quais deseje enviar mensagens de e-mail. O texto das mensagens será praticamente igual, mas com algumas personalizações. Isto não deixa de ser outra variante da postagem feita aqui: Enviando individualmente e-mails em massa Primeiro você cria uma planilha no Excel, separando uma coluna para cada informação que deseja poder personalizar na mensagem. A primeira linha conterá os títulos das colunas; Agora insira os dados particulares de cada destinatário, um por linha, salve o arquivo e feche ele; O passo seguinte é abrir o Word, selecionando um Documento em branco , clicar na guia Correspondências , Iniciar Mala Direta e selecionar Mensagens de E-mail; Neste momento devemos informar ao Word quem serão os destinatários de nossos e-mail, aqueles que informamos no Excel. Para isto clique em Selecionar Destinatários e selecione Usar uma Lista Existente ; Agora, caso sua planilha tenha mais de uma guia, selecione a guia adequada na janela seguinte e clique em OK . Se houver apenas uma, esta tela não aparecerá; O passo seguinte é escrever a linha de saudação. Aqui você pode escolher a forma de saudação (Caro, Prezado, nenhum/a), a maneira que deseja exibir o nome e a pontuação que virá após a saudação; Depois pode definir o que deve ser colocado na linha de saudação, caso haja um problema com o nome do destinatário; Aí chega o momento de escrever o texto desejado, inserindo os campos que desejar de sua planilha através do botão Inserir Campo de Mesclagem , onde você pode selecionar qualquer campo da planilha; No seu texto serão inseridos apenas os códigos dos campos e não o seu conteúdo, desta forma sua mensagem ficará parecida com esta abaixo; Caso deseje obter uma visualização dos resultados, clique em Visualizar Resultados ; Uma forma mais prática de inserir o endereço do destinatário é clicar no botão Bloco de Endereço ao invés de inserir campo a campo, conforme demonstrado acima. O resultado no código será; Claro que desta forma não se tem a mesma flexibilidade de customização, mas ainda podemos personalizar algumas coisas, como; Sendo que à direita da tela acima estará aparecendo um exemplo de como ficará, bem como teremos um controle para avançar e retroceder nos dados; Então a última etapa é preparar para o envio, clicando em Concluir e Mesclar e selecionando Enviar Mensagens de e-mail; Agora no campo Para você deve identificar qual coluna da sua planilha contém os endereços de e-mail, informar o assunto que a mensagem terá e selecionar o formato no qual deseja enviar a mensagem. Cabe salientar que se selecionar Texto sem formatação sua mensagem NÃO poderá conter imagens, nem qualquer tipo de formatação de texto; Caso deseje poder usar a mesma mensagens para envios futuros, basta selecionar para Salvar . Neste caso o documento abrirá com os dados do primeiro registro e a conexão com a base de dados será mantida. Quando o documento for aberto novamente, o Word perguntará se deseja manter a conexão de dados. Caso selecione Não a conexão com a fonte dos dados será quebrada e o texto passará a ser um documento simples do Word.   Pronto, espero que tenham gostado!

  • Este artigo surgiu de uma necessidade de solução para um problema, aparentemente simples, comentado na Parte 1 , que tornou necessário o uso de uma macro. O que precisamos aqui é que o Word 2013 acesse uma pasta específica do computador, onde existem 800 arquivos PDF e converta todos eles para DOCX. Como os arquivos mudam a cada mês, esta macro tem de ser rodada todos meses, mas a pasta onde os arquivos estarão nunca muda. A solução apresentada foi o uso do código abaixo: Usando o código acima a macro converteu todos os 800 arquivos, sem que fosse necessária a intervenção manual de ninguém!

    by to

  • Ontem me surgiu uma necessidade interessante num cliente. Ele me perguntou se era possível converter um arquivo PDF em Word. Eu respondi que claro, o Word 2013 faz isso e demonstrei para ele da forma descrita abaixo (juro que achei estranho ele ter uma dúvida tão simples). Para converte um documento PDF em Word siga os seguintes passos: Abra o Word 2013 selecionando a criação de um novo documento em branco; Clique em Arquivo , Abrir e selecione o documento PDF que deseja converter; Outra forma de chegar neste mesmo ponto é localizar o arquivo PDF com o Windows Explorer , dar um clique com o botão direito do mouse nele e selecionar Abrir com , depois escolher Word (Desktop) . Caso você receba uma mensagem informando que o arquivo será convertido, basta confirmar; Se a edição já não estiver habilitada, clique em Habilitar edição na barra superior; Agora basta ir em Arquivo , Salvar como e escolher documento do Word ; Pronto, problema resolvido! Não no meu caso, pois o cliente gostou da solução, mas disse que havia um problema ainda. Aí eu pergunto: Qual? São 800 arquivos, isso vai demorar muito. Precisamos de algo automatizado. OK, neste momento parto para a criação de uma macro, que demonstro na parte 2 deste artigo.

  • Quem escreve um blog, sabe que muitas vezes é interessante postar um código fonte para explicar uma coisa ao leitor, porém dar o destaque correto a cada parte dele, as vezes é complicado, então usando este aplicativo do Office você consegue fazer isso, mesmo quando estiver postando do seu Word 2013 RT, do Surface RT, como é o meu caso! Ok, como proceder? O primeiro passo é instalar o aplicativo no Office, para isso acesse o site da loja do Office e procure pelo aplicativo Syntax Highlighter do Thomas Dunne . Como você pode ver, ele é gratuito! Gostaria de um link direto? Basta clicar na imagem acima. Ali você clica em Add , informa sua conta do live, ou caso ainda não tenha uma, a cria na hora, de graça. Então você abre o Word 2013, clica na guia Inserir e depois em  Meus Aplicativos que ele já aparecerá na lista. Caso não tenha aparecido, clique em Atualizar . Ao clicar nele abrirá uma nova janela no Word, onde você escolhe para qual tipo de código deseja o highlight, repare que existem várias opções! Certo, mas e como funciona? Simples, você escreve o código de forma normal, como demonstrado abaixo: Agora selecione o texto, escolha o tipo de código e clique em Highlight e repare no que acontece: Aqui fica mais fácil de visualizar o resultado: Simples, rápido e fácil. Aproveite!

  • Um recurso que era muito utilizado no Windows Live Writer era a inserção de vídeos nos posts de blogs e aparentemente este recurso não está presente no Word 2013 para postagens. Digo aparentemente porque, por padrão, ele não aparece, mas podemos facilmente resolver isto. Aqui vai o passo-a-passo: Na sua faixa de opções, dê um clique numa área livre e selecione Personalizar a Faixa de Opções ; Insira um novo grupo na faixa e dê um nome para ele (suponhamos algo criativo, como Vídeos ) e escolha um ícone; Selecione Todos os comandos , depois localize Videos Online… e clique em Adicionar > > ; Clique em OK e pronto! Agora você já terá na sua Faixa de Opções o novo grupo Vídeos, com o item Video Online !

  • Esse assunto já é antigo, tanto que postei sobre ele em 2007 ( http://msmvps.com/blogs/paleo/archive/2007/07/27/evitando-grandes-problemas-com-o-uso-do-wireless-em-aeroportos.aspx ), mas de qualquer forma, vou repetir algumas coisas aqui. Definir permissões de acesso a roteadores wireless por filtros de Mac Address é uma solução boa, mas não deve ser a única, pois com softwares gratuitos e simples de usar como, por exemplo, o Macshift ( http://devices.natetrue.com/macshift/ ), já facilitavam este procedimento desde o Windows XP . No Windows 7 basta seguir os passos abaixo: Iniciar; Painel de Controle; Gerenciamento de Dispositivos; Adaptador de Rede; Avançado; em Endereço de Rede, preencha com o Mac que deseja. Isso ainda pode ser feito no registro do Windows, como explicado aqui: http://www.windowsreference.com/networking/how-to-change-mac-address-in-windows-registry/ No Windows 8 : Pressione a tecla do Windows junto com a letra S ; na caixa de busca que aparece digite: “ Gerenciador de Dispositivos ” (não precisa digitar tudo, pois ele vai localizando a medida que você digita); localize o Adaptadores de Rede e expanda a seleção; clique na guia Avançado ; localize Endereço de rede e altere o valor dele para o que desejar.   Em resumo, sim, o uso do endereço Mac é uma medida de segurança, mas facilmente burlada.   Um exemplo real? Aqui vai o que citei em 2007 no artigo mencionado acima: Muita gente gosta de usar as conecções Wireless de aeroportos, mas como na maioria deles elas são pagas, acaba pagando por isso. O interessante é que algumas vezes as pessoas notam que pagaram por mais tempo do que usaram, mas o provedor garante que não. Por que isto acontece? Simples, quando você embarcou no seu vôo, outra pessoa passou a usar sua conexão! Como? Muito simples: Você chega ao aeroporto, acessa a página do Wireless, informa os seus dados e do seu cartão de crédito (ou conta de acesso); com isto o acesso através de seu MAC Address (aqui está o problema) é liberado; outra pessoa chega, obtém acesso à página onde pede cartão/usuário senha; esta outra pessoa verifica o endereço IP que recebeu e identifica os outros IPs na área; então esta pessoa roda um "nbtstat" em cada IP da rede e obtém seus MAC Addresses; você embarca no seu vôo; o segundo passo do "sacana" é identificar qual IP não está mais operando ativamento (um deles será o seu, que acaba de embarcar); neste momento o "sacana" altera o MAC Address dele, deixando-o igual ao seu (usando por exemplo, o Macshift , que é free); pronto, agora ele pode navegar de graça e o pior, você está pagando pela navegação dele. Ok, muita gente vai dizer que isto não é problema, pois o acesso é barato mesmo e o seu prejuízo será baixo, mas preste muita atenção a um detalhe: QUALQUER coisa que esta pessoa realizar usando o SEU MAC Address, foi oficialmente realizada por você! Ou seja, se ele praticar algum crime, você sofrerá o processo e precisará gastar dinheiro para provar sua inocência! MUITO CUIDADO então! O uso do MAC Address nunca foi uma forma eficiente de se implantar segurança, mas este tipo de "roubo" de MACs está ficando tão freqüênte que resolvi alertar aos meus leitores. Claro que roubar MAC Address pode ser classificado como crime, mas o difícil é provar quem fez isto e levá-lo a um tribunal, portanto fique esperto e proteja-se. Sempre que possível, use apenas redes "seguras" (usei as aspas, pois virtualmente nenhuma rede pode ser considerada 100% segura).

  • Esta postagem na verdade é um complemento para esta outra: Arquivo de Logs do SharePoint gigantesco Aqui mostro uma forma alternativa de chegar na mesma solução (usando o Query Analyzer), o que torna o processo bem mais curto. Execute cada um dos comandos a seguir, de forma sequencial e individual (Os comandos estão em negrito e o nome da base de dados em itálico. Adicionalmente, após cada comando, coloco a explicação do que ele faz): USE WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c ; Conecta à base de dados que desejo reduzir de tamanho ALTER DATABASE WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c SET RECOVERY SIMPLE; Configura o modelo de recuperação para SIMPLE CHECKPOINT; Comanda um CHECKPOINT para eliminar todas as transações inativas DBCC SHRINKFILE ( WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c _LOG, 5); Comprime o arquivo do log de transações para um tamanho aceitável ALTER DATABASE WSS_Content_5b2a339ee78749d0b48100e45cd22a0c SET RECOVERY FULL; Configura o modelo de recuperação de volta para FULL   Pronto, é só isso! Apenas quatro comandos, para fazer o mesmo do outro post!

  • Quem trabalha com SharePoint, com um enfoque de infraestrutura, não apenas de usuário, já deve ter encontrado base de dados do SharePoint onde o arquivo de dados do SQL Server (.mdf) possui um tamanho de alguns poucos MBs ou GBs, mas o arquivo de logs associado (.ldf) possui muitas vezes o tamanho do arquivo de dados, chegando muitas vezes a consumir quase todo o HD da máquina. A caso mais gritante que encontrei foi numa máquina de cliente um arquivo de dados (.mdf) de 5 GB e um arquivo de logs (.ldf) de 112 GB! A solução empregada nesta máquina será a demonstrada aqui neste post! O mais interessante é que este arquivo de logs crescerá até consumir o seu HD inteiro, caso não seja configurado um limite para ele. Quando isso ocorrer os usuários não poderão inserir , atualizar , nem excluir seus registros! Isto ocorre porque cada alteração (atualização) realizada no seu SharePoint é tratada como uma modificação pelo SQL Server (o que é correto) e portanto escrita no arquivo de logs, para somente depois ser escrita no arquivo de dados. Como o disco estará cheio, não será possível escrever no arquivo de logs, desta forma o SQL Server nem chegará a tentar escrever no arquivo de dados e portanto o seu SharePoint passará a ser apenas para visualização, uma vez que nada poderá ser alterado. Tornando-se inútil em pouco tempo. Há como evitar isso? Claro, é uma configuração no SQL Server, porém como nem todo usuário de SharePoint entende de SQL Server isso pode se tornar um “elefante branco”. Vou abordar esta configuração em outro post, aqui focarei apenas em como reduzir o tamanho de um arquivo de logs que já esteja gigante. Comece acessando o banco de dados que possui o arquivo de logs gigantesco e execute os seguintes procedimentos para reduzir o tamanho dele (aqui vou mencionar os procedimentos a serem realizados no modo "visual" (GUI) do SQL Server Management Studio, em outro post coloco como fazer via Query Analyzer, para não tornar este muito extenso. Bem, então vamos lá: Expanda Databases ; Localize o banco onde deseja reduzir o arquivo de logs, dê um clique com o botão direito do mouse nele e selecione Properties ; Acesse a guia Options ; Localize a informação sobre o modelo de recuperação ( Recovery Model ) onde deve estar selecionado Full ; Clique no menu dropdown e selecione Simple para o modelo de recuperação; Clique em OK ; Dê um clique com o botão direito do mouse no nome da base de dados e escolha Tasks –> Shrink –> Files ; No menu ao lado de File type , onde estará escrito Data , selecione Log ; Você pode manter o restante da tela como está, com a opção padrão, que é a liberação do espaço não usada ( Release unused space ), ou pode selecionar Reorganize pages before releasing unused space e ainda escolher em Shrink file to o tamanho que deseja deixar o arquivo. Não há necessidade para alterar a opção padrão, então vamos simplesmente clicar em OK (Fique ciente que este procedimento pode levar vários minutos!); Quando estiver concluído, caso deseje, você pode executar o procedimento anterior novamente, para reduzir o tamanho do arquivo de dados também. Para tanto, basta manter a seleção padrão para File type que é Data ; O último passo é voltar nas propriedades da base de dados e alterar novamente o modelo de recuperação para Full . O resultado será algo semelhante à imagem abaixo (repare que eu realizei o procedimento tanto no arquivo de dados, quanto no de logs):

  • Realizando a migração de um Sharepoint Services 3.0 para o SharePoint Online do Office 365 verifiquei umas situações interessantes que julguei legal postar aqui para ajudar aos amigos. Primeiro o SharePoint estava usando o Windows Internal Database para contornar o problema da limitação de tamanho das versões Express do SQL Server. Vale destacar que na época da instalação do SharePoint se utilizava Windows Server 2003 R2 e SQL Server 2005 Express , que possuía a limitação de 4 GB para tamanho da base de dados. Para quem não está acostumado com isso, o Windows Internal Database não possui limitação de tamanho e pode ser utilizado para o SharePoint, o que na época era uma boa solução para quem não desejava gastar. Maravilha, mas hoje isso cria um problema adicional. Por que? Simples, não é possível migrar um SharePoint Services 3.0 direto para o SharePoint Online, primeiro temos migrar ele para um SharePoint Foundation 2010 ou SharePoint Server 2010 e então dele, podemos migrar para o SharePoint Online. Até aqui tudo bem, ocorre que quando se instala o SharePoint Server 2010, como standalone, ele instala e configura um SQL Server 2008 Express , que naturalmente possui recursos superiores aos do SQL Server 2005 Express da época em que foi instalado o SharePoint original, porém, possui a mesma limitação de tamanho dos 4 GB , o que inviabilizaria a migração, uma vez que a base já superou este tamanho. O processo de migração consiste em aplicar todas as atualizações no SharePoint Services 3.0 e no Windows Internal Database e depois realizar um Backup da base de dados do SharePoint (que pode ser feito via linha de comando, ou através do SQL Server Management Studio Express , que eu recomendo, por tornar o processo mais visual, o que facilita para quem não tem muita prática com bancos de dados). Como a base original estava num sistema antigo, foi utilizado para criar o backup a versão 2005 dele, como pode ser visto abaixo: Esta etapa é tranquila, agora vem a hora de levar o arquivo do backup até o equipamento onde temos o SharePoint Server 2010 e realizar a restauração do backup, para a primeira atualização da base de dados, pois é aí mesmo que iniciam os problemas. O problema deles será a demora via conexão de internet, caso os equipamentos estejam em locais onde não seja possível o transporte por meios físicos. O segundo será o tamanho da base, que neste caso era de 5,2 GB ! Na hora de restaurar o backup recebemos a seguinte mensagem: Agora, como contornar isso, sem precisar gastar muito? Simples, fazendo o upgrade de edição! Será necessário desinstalar o SharePoint, instalar o SQL Server 2012 Express e depois reinstalar o SharePoint? Não, o processo é bem mais simples do que isso! Basta Usar o SQL Server Instalation Center dele: Apenas tenha atenção para não acessar o SQL Server Instalation Center do SQL Server 2012, senão de nada adiantará. Você pode reparar na tela acima que o mouse está posicionado no correto e o outro está na base da mesma coluna. Selecione a opção de Maintenance e depois clique em Edition Upgrade : No Windows Server 2012 você receberá uma mensagem de erro, basta clicar em Run the program without getting help e seguir o processo. São realizadas algumas validações e você precisa apenas mandar continuar, clicando em OK ou Next , conforme o caso (uma vez cada um). Então você deve definir para qual edição deseja fazer o upgrade. Caso tenha uma chave com os 25 caracteres de uma versão superior, insira ela. Se não tiver apenas selecione Enterprise Evaluation e clique em Next . Sim, sua base será considerada de avaliação, mas isso não é problema, pois muito antes de os 180 dias da avaliação expirarem sua migração estará concluída! Agora aceite o contrato de licença e avance para a tela onde deverá selecionar a instância do SQL Server a passar pela atualização. A identificação é simples, basta ver qual delas possui Express na coluna Edition . Caso tenha mais de uma e não saiba qual delas é a correta, primeiro identifique-a pelo gerenciador do SharePoint 2010. Vale salientar que a seleção é feito pelo nome da instância, no menu acima da tabela de instâncias instaladas, onde aparece escrito SHAREPOINT . Pronto, problema de tamanho resolvido e agora você pode seguir com a migração!

  • Eu havia postado como encurtar o link de uma célula aqui ( http://carlosfprocha.com/blogs/paleo/archive/2014/06/10/encurtando-links-no-excel.aspx ), mas recebi alguns e-mails solicitando que fizesse a postagem do código para encurtar todos os links de uma determinada coluna. Pois bem, não repetir toda o post anterior, vou colocar apenas o código VBA para esta nova tarefa, uma vez que basta substituir o do post anterior por este, para obter o resultado desejado. Como em cada e-mail havia o pedido por uma coluna diferente, fiz o código solicitar a coluna desejada. Enjoy!

    06-12-2014 11:38 by to

    Filed under: ,

  • Hoje fiz uma palestra sobre Produtividade para Pequenas e Médias empresas na Contax, abordando os recursos do Windows Essentials 2012 e do Office 365. Muito legal a empresa e o pessoal foi bem participativo.

  • Algumas vezes no trabalho precisamos concentrar uma grande quantidade de informações em uma planilha, para tanto acabamos utilizando links externos para suas fontes, porém estes links ficam com tamanhos diferentes e isso atrapalha na hora de padronizar o tamanho da coluna, pois ou deixamos ela com uma largura gigante, ou não aparece o texto inteiro. Uma forma simples de contornar isso é utilizar encurtadores de links, assim padronizamos o tamanho deles. Para facilitar um pouco mais, demonstrarei aqui como usar um encurtador de links via VBA, direto no seu Excel. A rotina abaixo irá encurtar apenas o link da célula selecionada, mas pode ser facilmente adaptada para encurtar todos links de uma coluna, se for necessário. Primeiro vamos obter um Token de um serviço de encurtamento de links, aqui eu utilizarei o Bitly, mas você pode usar qualquer um de sua preferência. Para o Bitly, acesse https://bitly.com e crie uma conta. Agora acesse a área da API (o endereço está na janela abaixo) e vá em My Apps. Clique em Manage My Apps e gere um Token de acesso genérico clicando no botão Generate Token , depois copie o conjunto de letras e números do Token, pois você deverá inserí-lo na variável Token, do código que vamos criar logo abaixo. Agora vamos criar a macro, para tanto acesse o editor do VBA clicando em Alt + F11 ; Agora adicione uma referência para WinHTTP, pois utilizaremos ele para realizar a busca de dados pela internet. Para isso, no Editor do VBA, clique em Ferramentas | Referências e depois selecione ele na caixa, conforme demonstrado abaixo. Agora vamos criar o código do VBA, clique em Inserir | Módulo e cole o texto abaixo nele: Repare que o conteúdo da variável Token precisa ser alterado para que possa funcionar. É exatamente ali que você deverá inserir o código gerado anteriormente. Ok, já temos o Token e a macro está pronta, agora apenas para facilitar nossa vida, vamos criar um botão para acioná-la, assim não precisaremos ficar pressionando Alt + F8 toda vez que desejarmos executá-la. Para isso, personaliza seu Excel da seguinte forma: Clique em Personalizar barra de ferramentas de acesso rápido e selecione Mais comandos , agora em Escolher comandos em selecione Macros e depois EncurtarUmLink e então em Adicionar . Quando desejar usar a macro, basta selecionar uma célula que contenha um link e clicar no botão que acaba de criar. Tudo pronto, agora é só usar!

  • Reportagem na Revista da Associação dos Funcionários do Grupo RBS! Para quem não conhece, o Grupo RBS é a afiliada da Rede Globo no Rio Grande do Sul.

  • Hoje estava conferindo o desempenho de três aplicativos que criei basicamente para meu uso e de alguns amigos e fui surpreendido pelo relatório de uso deles. Esperava encontrar no máximo vinte downloads em cada um, mas vejam só: Pelo visto o CPF / CNPJ está merecendo uma versão 2 e o Altera Vencimento está merecendo uma versão 3, aumentando as funcionalidades dele. Já o TabelaFinanceira pretendo portar para celular...

    by to

    Filed under:

  • No dia 26/04/2014 fui palestrante no evento SQL Saturday #284, realizado na Estácio FARGS, evento do qual participei desde seu planejamento e negociação, que ocorreram desde novembro de 2013. Nos quinze anos de existência do PASS, esta foi a primeira vez que o evento foi realizado no Rio Grande do Sul e foi realmente muito gratificante tem participado do grupo que tornou possível a realização dele, tento como palestrante, como fazendo a ponte entre a Estácio e o PASS e auxiliando no ajuste de diversos detalhes para sua realização. O evento foi um sucesso completo, onde tivemos a presença de mais de 170 pessoas, que lotaram o auditório da faculdade, desde as 08:00, até as 18:00. Sim, foram 10 horas de evento e o público permaneceu lá! Na abertura do evento tivemos um keynote com Ramnik Gulati, Global Product Manager for SQK Server da Microsoft/USA, o que muito abrilhantou o evento! O evento contou com 18 palestrantes e pela avaliação dos presentes, foi um sucesso total, tendo obtido avaliação média 4,65 , em uma escala que vai de 0 a 5. A minha palestra, que obteve nota 4,74 , em uma escala que ia de 0 a 10, foi sobre Business Intelligence usando o Microsoft Excel, com Power Query. Outra coisa que ficou bacana foi eu ter usado o Office Remote para comandar a apresentação a partir do meu Windows Phone.

  • Alguns blogueiros, assim como eu, gostavam de usar o Windows Live Writer para escrever seus posts, dentre outras coisas pela facilidade para adicionar imagens. (Some bloggers, like me, liked to post their articles using Windows Live Writer, beyound other reasons, because it was pretty straigh forward to insert images.) Então passei a usar um Surface RT, com Windows e Office RT e passei a sentir muita falta de minha ferramenta para blogar. (So, I started using a Surface RT, with Windows and Office RT and missed my old blogging tool.) Procurei na Windows Store e não encontrei nenhuma ferramenta que gostasse. (I went to Windows Store but didn't find any tool I ended up by liking.) Bem, se este também é seu caso, eu tenho uma boa e uma má notícia. Vou dar primeiro a má, mas peço que não de ler o artigo até a boa! (Well, if you feel the same, I have good and bad News for you. I am gonna give you bad news first, but I ask you to don't drop reading after it, keep going till the good!) Notícia má: Desculpe, de certa forma enganei você com o título, pois realmente não há Windows Live Writer para Windows RT. (Bad News: I am sorry, my title might have deceived you, as there isn't really a Windows Live Writer for Windows RT.) Notícia boa: Você pode fazer tudo o que fazia no Windows Live Writer, usando o Word 2013 RT do seu Windows RT, como eu estou fazendo aqui. (Good News: You can do all you were used to do with Windows Live Writer, by using Word 2013 RT, which comes with Windows RT, as I am doing here.) Ok, então vejamos como usá-lo para isso. (Ok, so let's see how to use it for this. I stop translating here. Ok, call me lasy, but as I will use screen captures, text isn't really necessary) Vamos lá: Inicie o Word e na hora de criar um novo document escolha Post de Blog ; Agora clique para criar; Então será solicitado para você informar o tipo de blog que pretende usar. Clique em Registrar agora para continuar; Informar suas credenciais (siga as telas para informar seus dados de acess




ШОКИРУЮЩИЕ НОВОСТИ